Follow by Email

terça-feira, 28 de junho de 2011

AMIZADE, O AMOR MAIS PURO.

De todos os amores os mais puros e desinteressados, são o de família e o dos amigos.
Estive semana passada, na casa de uma amiga-irmã, afinal somos amigas há 30 anos, e a alegria de conviver é sempre a mesma, e sempre dá aquela tristeza na hora das despedidas, mas isso também faz parte desse laço de amor fraterno.
Olha só como fui recebida, com um "seja bem vindo", com flores nos jarros d'agua,com comidinhas deliciosas.
Dividimos sonhos, alegrias, sujamos as mãos na terra ,replantando plantinhas, como nós , frágeis sempre tendo que se adaptar a"vasos" novos, mas nossa essência permanece, por isso como as plantinhas nos adaptamos e mostramos sempre algo novo de nós e sempre melhor que antes.
A delicadeza com que ela enfeita tudo , mostra a maneira como ela vê a vida, não importa como estão as coisas, com um vasinho de planta,um detalhe, um laçinho, tudo melhora nossa percepçaõ do que é visto.As conversas por horas, nunca cansam e sempre um assunto puxa o outro, as conversas com amigos tem essa magia, são infindáveis, incansáveis, e curam.
A cura que vem desse amor simples que nos faz ouvir a própria voz, e assim aquilatar melhor como temos vivido, e olhar para nossas indagações com o olhar de quem quer se modificar.
No ar desse convívio passa suavemente, esperança, força e alegria.
Presisamos de mais que isso para nos reprogramar, quando os caminhos nos parecem difíceis de trafegar?
Então essa minha breve estadia na casa de minha amiga/irmã, me curou, e me fez lembrar do quanto é bom sorrir.
Ainda conheci dois amores novos, a Madeline e a Jurema, duas galinhas que são um adorno, e pela manhã me acordaram com doces barulhinhos de tempos antigos, em que as casas tinham galinhas para os ovos fresquinhos todas as manhãs;O que dizer desse conjunto de coisas? Apenas obrigado pelo aconchego e carinho curadores.
Isso é evoluir em dois mundos , no interior de minhas conjecturas e no exterior de minhas relações de amizade.