Follow by Email

segunda-feira, 25 de abril de 2011

DESTINO DE VIAGEM: A PAZ DA MINHA INFÂNCIA


Feriado prolongado, viagem. Como pode uma estrada de asfalto te levar às memórias de infância?
Simples, visitando com calma a casa em que vivi tantas aventuras, e que para minha felicidade continua inalterada.
Venham comigo...
Por essa porta entrávamos na casa de nossos amados tios,tudo ali transcendia os lugares comuns, almas nobres vivendo em espaço raro.
Brincar era tudo que me importava, descia essa escada pelo corrimão como um macaquinho.
O quintal guardava toda magia de que eu precisava para meu mundo da imaginação, muito "sui generis"
Onde agora só se vê o suporte de ferro , havia na minha infãncia um parreiral que circundava todo o quintal, deliciosas uvas eram saboreadas com encantamento e alegria.
Essa casinha era o meu mundo misterioso, inatingível, hoje sei que lá ficavam as "tralhas de pesca"os materiais de prótese dentária(meu tio era dentista) e mais algumas bugingangas,todas intocáveis para uma criança.
Nesse corredor quem entrasse , era aclamado como o mais corajoso, alí sempre os muros eram recobertos de musgo, o que dava um aspecto sombrio, mas mesmo assim eu brincava, me fartava de tudo.
No gabinete, não podia mexer nos papéis, mas nada que impedisse essa visão paradisíaca das coisas antigas, usadas e amadas.
Sair dali era impensável, para quê?
Hoje no quintal, há flores exóticas e simples, o pé de laranja da terra carregado. Tudo ainda guarda para mim uma aura de mistério , de passado, de auto encontro...
Tudo é mágico e de significado profundo...
Isso não é possível ser explicado, somente sentido...
O som de meus pés nas pedras , são música para meu espírito, o farfalhar das folhas acorda magia e mistério nos meus arquivos mentais.
Tudo transcende, tudo é pura alma das eras me rondando o espírito...

5 comentários:

  1. Cuanta emocion y recuerdos!!! Hermosas tus fotos y que lindo viaje Claudia!!! Un besote!!!

    ResponderExcluir
  2. Uma viagem no tempo é como reviver tudo. Quantas uvas chupadas, jaboticabas, mixirica enredeira, essa você esqueceu né eu não porque lavava tanto a mão para que não sentissem o cheiro de mixirica verde chupada com sal.Ai meu Deus mas não adiantava de nada, o cheiro grudava, e lá viam as broncas, "vai cortar as tripas" e por ai iam falando. Mas foi muito lindo tudo que lá vivemos eu bem antes de você, mas voce viveu bem. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Que saudade dessa casa, da tia Elza... e que vontade de tomar um café com vocês, tio Honor, aí nessa casinha tão gostosa e acolhedora!..

    ResponderExcluir
  4. Essa casa é mesmo um ponto de referência para toda família.Referência de aconchego e histórias.

    ResponderExcluir
  5. Cláudia, uma simples "laranja da terra" me trouxe ao seu gostoso espaço...Estou preparando uma postagem sobre a "compoteira" de minha avó, que fazia doce de laranja da terra da única laranjeira que tinha no quintal...sou um memorialista apaixonada pelas histórias em família....
    "Salvei" sua foto com as laranjas...pretendo usar, mas citarei seu blog, que já acompanho, desde já...
    Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir